RICARDO SALAVESSA, violino

Nasceu em Lisboa, sendo neto do violinista húngaro Richard (Rikárd) Rupp, que se graduou na Academia Ferenc Liszt, em Budapeste, e posteriormente emigrou com a sua família para os Países Baixos no ano 1957. Ricardo manifestou o seu talento musical já aos 2 anos, ao conseguir memorizar e cantarolar melodias de concertos que ouvia em casa, e manifestou ter ouvido absoluto.

Começou a tocar violino aos 4 anos, sob a orientação do Prof. Dr. Benoìt Gibson. Aos 7 anos entrou na FMAC como aluno da Prof.ª Klára Erdei.

Completou o 8.º grau de violino aos 16 anos, continuando a estudar com Klára Erdei até entrar na ESML aos 18 anos. Aí foi aluno do Prof. Gareguin Aroutiounian e – após o trágico falecimento precoce deste – do Prof. Bin Chao, ambos concertinos da Orquestra Gulbenkian.

Após a conclusão da licenciatura em violino, ramo execução, na ESML,em 2016, entrou na Conservatória da Metropolitana em Lisboa num curso livre de violino, como aluno do Prof. Dr. Carlos Damas. Entre 2010 e 2016 foi também orientado pelo conhecido pedagogo de violino Prof. David Russel em vários mastercourses e masterclasses nos EUA, Espanha, França e Portugal, bem como durante um estágio intensivo de um mês nos EUA (2016). Além disso, participou em masterclasses de Carlos Fontes, António Anjos, Alexander Trostiansky, Gerardo Ribeiro, Xuan Du, Artur Pizarro (música de câmara), Koosje van Haeringen, Zofia Kuberska-Woycicka, Augusto Trindade, Mariana Sìrbu e Esther Yoo.

Foi 1.º prémio na Concurso de Cordas da FMAC, em 2007, e no Concurso Internacional de Violino da Cidade do Fundão, em 2008. Também recebeu um 3.º prémio no Concurso para Jovens Violinistas “Prémio José Augusto Alegria”, em Évora, nos anos 2010 e 2012, bem como um 3.º prémio, para maiores de 18 anos, no Concurso Internacional de Música online “eMuse”, Atenas, em 2016. Foi galardoado com prémios da FMAC, em 2004 e 2009, e obteve Bolsas da Fundação EDP/Orquestra Sinfónica Juvenil nas épocas 2015/16, 2016/17 e 2017/18.

Foi concertino da Orquestra Juvenil da FMAC, da Camerata Gareguin Aroutiounian e da Orquestra Sinfónica da ESML no Réquiem de Fauré e na Missa in Tempore Belli de Haydn sob a batuta do Maestro Paulo Vassalo Lourenço. Na actual época é concertino em exercício da OSJ, tendo, por exemplo, participado no Festival da Antena 2 no Teatro da Trindade, em Fevereiro de 2018. Participou ainda em inúmeros recitais e audições de música de câmara. Na época 2009/10 foi membro do Quarteto de Cordas Vecchi-Costa. Teve a sua primeira actuação como solista com orquestra aos 9 anos, acompanhado pela Orquestra Juvenil da FMAC. Mais recentemente tocou a solo com a Camerata Gareguin Aroutiounian, a Orquestra Sinfónica da ESML e com a Orquestra Sinfónica Juvenil sob a batuta do Maestro Christopher Bochmann.

Actuou em muitos palcos como solista ou em música de câmara. Por exemplo, em Lisboa: CCB, Casa do Artista, Teatro Tivoli, Museu Nacional da Arte Antiga, Museu da Música, Assembleia da República, Salão Nobre do Instituto Superior Técnico, Estúdio Aberto da Metropolitana, Igreja do Colégio do Bom Sucesso; Fundão: “A Moagem”; Évora: Teatro Garcia de Resende, Mosteiro dos Remédios; Cascais: Forte Oitavos; Mafra: Palácio Nacional e Conservatória; Linda-a-Velha: Palácio dos Aciprestes.

Ricardo toca numa réplica de um Grancino de 1695, feita por volta do ano 1960 pelo Luthier Joachim Schade em Halle (ex-RDA). Usa um arco W.D. Watson.